Noticia Noticia

Cerro Catedral - Aventura o ano todo

O maior centro de esqui do hemisfério sul (120 quilômetros de pistas distribuídas em uma superfície de 600 hectares) oferece uma ampla infraestrutura de serviços para a prática de esportes de inverno. Está aberto o ano todo. Conta com 34 meios de subida (entre bondinhos, teleféricos e cabos de ascensão), facilitando o transporte de 29 mil pessoas por hora.

Uma vez lá em cima você poderá apreciar os lindos mirantes instalados nas imponentes ladeiras, com vistas incríveis para os lagos Nahuel Huapi e Gutiérrez, a Cordilheira dos Andes, o Cerro Tronador e os demais montes ao redor.

Também há hospedagens de todos os tipos, uma ampla variedade de opções gastronômicas e várias lojas. No inverno você encontra tudo o que precisa para esquiar e fazer snowboard: de aluguel de equipamento a escolas prontas para ensinar praticantes de todos os níveis de habilidade.

No verão você pode praticar inúmeras atividades de aventura para toda a família, escalada, trekking, mountain bike, rapel e muito mais. Aproveite as lindas paisagens, a gastronomia e uma área de passeios sem usar carro. Você também pode conhecer o Bike Park, onde famílias e ciclistas experientes descem por oito circuitos diferentes pelo setor sul e o centro da montanha.

Cerro Otto - Muita diversão nas alturas

Este Cerro tem um caminho principal e diversas trilhas de montanha para a prática de mountain bike e trilhas curtas. É possível chegar ao cume por uma estrada para veículos ou de teleférico, a partir da base do monte. Nas áreas superiores da montanha você encontra, durante o inverno, pistas para a prática de esqui nórdico e outras para esqui andino.

Complexo Teleférico Cerro Otto

A base do complexo se localiza a 5 quilômetros do centro da cidade. Para subir você usa um famoso teleférico, uma atração com elevação média e 42 gôndolas panorâmicas com capacidade para quatro passageiros cada. Ele vai da Estación Inferior, na base do monte, até a Estación Superior, percorrendo uma distância de 2.100 metros. É uma experiência imperdível!

A 1.405 metros acima do nível do mar está a famosa confeitaria giratória, a única do país. Com uma estrutura envidraçada em toda a sua circunferência, gira 360° e, em 20 minutos, permite que você observe toda a paisagem ao redor enquanto saboreia um delicioso chocolate quente acompanhado de uma grande variedade de delícias regionais.

A vista de cima do Cerro Otto é extraordinária: ao norte se vê a cidade de Bariloche e o lago Nahuel Huapi. Ao leste estão os montes Leones e Villegas e parte da estepe patagônica. Ao sul você observa o lago Gutiérrez e outros montes próximos. A oeste estão o Cerro Catedral, o lago Moreno e a Cordilheira dos Andes.

Além de contemplar essas obras de arte criadas pela natureza, você também vai poder admirar as obras criadas pelo homem. Na parte de cima do Cerro há uma galeria de arte que expõe de forma permanente réplicas das três obras mais importantes de Michelangelo: Davi, a Pietá e Moisés. Os arredores do lugar são recomendáveis para caminhadas pelo bosque ou diferentes atividades na neve durante a temporada de inverno.

Para chegar até o Complexo Teleférico Cerro Otto há traslados a partir do centro da cidade, já incluídos no valor da subida.

EXCURSÕES DE BARCO

O lago Nahuel Huapi é um ponto de destaque de Bariloche e que vale a pena ser explorado. As águas calmas e cristalinas trazem calmaria e revelam o esplendor da natureza.

Cruce Andino – a beleza e dimensão dos Andes

Cruce Andino é uma das belíssimas excursões que dá para se fazer de barco. Essa é a estrada mítica que une a Argentina ao Chile, e o passeio proporciona um olhar diferenciado dos Andes, com toda sua imensidão.

Estar na Cruce Andino faz parecer que se está em uma outra dimensão, especialmente pela beleza do local. Cachoeiras, lagoas, arroios, montanhas e diversas espécies de aves. Todos os elementos da fauna e da flora contribuem para levar ao turista uma vista incrível.

O passeio tem início no Porto Pañuelo. Por cerca de uma hora, navega-se pelo braço Blest, passa em frente à Ilha Centinela e chega à Cachoeira Blanca, outro destino bastante requisitado em Bariloche. A viagem percorre então o Porto Blest, seguido de um percurso a bordo de um ônibus em um bosque, com um trajeto de cerca de três quilômetros. Na margem do lago Frias, volta-se a navegar por aproximadamente 25 minutos até chegar ao porto Frías, onde há a possibilidade de entrar em um ônibus para percorrer especialmente a Cordilheira dos Andes e atravessar o limite com o Chile, aproveitando as belezas naturais de uma das mais extensas cordilheiras do mundo. O passeio leva em média 12 horas.

Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes – passado, presente e geração de lembranças

Para quem vai a Bariloche, outro passeio imperdível é a excursão dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi. Água e árvores? Tem em abundância!

O bosque de Arrayanes é uma das atrações. O emaranhado de árvores localiza-se a noroeste do lago Nahuel Huapi, na península de Quetrihue. Para chegar ao local é possível partir de Porto Pañuelo e navegar por uma hora.

O arrayán é um arbusto de cor açafrão com flores brancas. A composição do bosque é exclusiva no mundo, trazendo as belezas inigualáveis da natureza da Argentina. Neste bosque, encontra-se a casinha semelhante a que a Walt Disney representou no desenho Bambi.

Navegando até o porto Anchorena, encontra-se uma flora fértil na ilha Victoria. Pelas trilhas da ilha é possível chegar até a praia de Toro com areia vulcânica, que contém as pinturas rupestres dos primeiros habitantes do lugar. História, Geografia e lazer. Tudo em único lugar.

Brazo Tristeza e Cachoeira do Arroio Frey – do barco à experiência sensorial das águas

No Parque Nacional Nahuel Huapi, é possível passear de barco pelo Brazo Tristeza, região onde dá para observar as geleiras do cume do monte Tronador, o mais alto do parque.

O passeio inicia no porto Bahia López. Ao fim do Brazo, também há a possibilidade de percorrer uma trilha por um bosque denso e adentrar à Cachoeira do Arroio Frey, que possui uma paisagem linda para aproveitar um banho de águas cristalinas e curtir uma experiência sensorial da natureza. Brazo Tristeza localiza-se a cerca de 25 quilômetros do centro de Bariloche.

TURISMO TERRESTRE

Para quem gosta dos passeios a pé, Bariloche também não decepciona. Pense numa cidade privilegiada com as belezas naturais!

Circuito Chico – pernas para que te quero? Para conhecer Bariloche

O caminho mais tradicional para conhecer Bariloche é o Circuito Chico. O percurso começa no centro da cidade, segue pela margem sul do lago Nahuel Huapi e passa pela península de San Pedro e o porto Bueno, que possui um mirante. Pelo circuito, ainda se chega à Villa Llao Llao, que concentra o famoso Hotel Llao Llao, o parque municipal (ideal para caminhadas pelo bosque) e a capela San Eduardo.

O passeio também contempla a península Llao Llao, a Villa Tacul e a ponte do arroio Angostura. Um outro ponto panorâmico pode ser contemplado, a 945 metros acima do nível do mar, com vista para o lago Moreno. Há ainda a possibilidade de conhecer a Colônia Suiza, com chácaras e campings.

A 17 quilômetros do centro da cidade encontra-se o monte Campanario. Lá, do mirante e da confeitaria há vistas panorâmicas, ideais para quem gosta de passeios contemplativos. Ao longo do trajeto é possível encontrar casas de chá, churrascarias, cervejarias e restaurantes para quem deseja fazer paradas e degustar da culinária regional. Ao todo, são cerca de 60 quilômetros de percurso.

Rio Manso – adrenalina da Argentina ao Chile

Para quem gosta de beleza e emoção juntas e está em Bariloche, o passeio pelo rio Manso é uma ótima oportunidade. Distante 70 quilômetros do centro da cidade, o rio fica ao sul do Parque Nacional Nahuel Huapi e a 53 quilômetros da Província de Rio Negro, na Patagônia Argentina.

São 40 quilômetros em uma estrada de cascalho dentro de um vale de montanha com paisagens ímpares. O rio possui 110 quilômetros de longitude, iniciando no Sul da Argentina, passando pela fronteira do país com o Chile e terminando seu curso no litoral do Chile.

O percurso leva cerca de duas horas até a fronteira e pode ser feito nas temporadas de primavera, verão e outono. Para quem se interessar em atravessar a Cordilheira, essa também é uma possibilidade. E se a paixão é por adrenalina, tem como atravessar a cavalo, de rafting, caiaque ou até fazer trilha.

OUTROS PASSEIOS

Divertir-se ao ar livre, rodeado de belezas naturais. Se você quer isso, Bariloche é o seu destino ideal na América Latina.

Colônia Suiza – do descanso à contemplação

Visitar a Colônia Suiza é um dos passeios recomendados para quem é turista. Na verdade, até para os próprios moradores de Bariloche. O local foi declarado patrimônio histórico e é o primeiro assentamento europeu da região, fundado no fim do século XIX.

Na Colônia é possível visitar várias casas de chá, restaurantes, lojas e feira de artesanatos. Lá, há a tradição de preparar um curanto, que foi introduzido por Emilio Goye, do Chile, um dos primeiros habitantes do local.

Em Suiza, também há degustação de produtos feitos à base de frutas finas (plantadas ali mesmo), como doces, conservas e sobremesas. Os principais acessos ao local se dão pelo Circuito Chico. A Colônia fica a aproximadamente 25 quilômetros do centro de Bariloche.

Porto Pañuelo – ponto de ligação para Ilha Victoria e bosque de Arrayanes

Para quem gosta de um ambiente mais tranquilo, com belas paisagens e sem precisar se deslocar muito do principal hotel de Bariloche, tem a opção de aproveitar o Porto Pañuelo, localizado às margens do lago Nahuel Huapi. O local foi construído em 1965 e situa-se a 25 quilômetros da avenida Butillo, em frente ao hotel Llao Llao.

Do porto saem excursões para a ilha Victoria, o bosque de Arrayanes e, também, para o porto Blest. Entre as paisagens possíveis de serem vislumbradas de Pañuelo está o monte López. Sem contar as belezas do próprio lago e das aves que ali sobrevoam. Para quem gosta de navegar, ou contemplar o barulho das águas e dos animais, essa é uma boa opção.

Centro Cívico – o coração pulsante de Bariloche

O Centro Cívico de Bariloche foi construído em 1940. Sua arquitetura segue o estilo predominante das regiões montanhosas e de bosque dos Estados Unidos e da Europa. Tendo como cenário de fundo o lago Nahuel Huapi, o local é ponto praticamente obrigatório de visitação para os turistas.

Próximo ao Centro Cívico, encontra-se a Igreja Catedral, que tem um estilo neogótico, que surpreende, principalmente, pelos lindos vitrais. A rua Mitre foi a primeira asfaltada da cidade e, hoje, é nela que se encontra a maior parte dos comércios da cidade, além das famosas chocolaterias, que tornam a cidade conhecida em todo o mundo.

ROTEIROS

Porto Blest e Cachoeira dos Cântaros – explorando as sensações

Selva, cachoeira e águas verdes. Se você quer explorar diversos sentidos em um só passeio, as águas do braço Blest, percorrendo o lago Nahuel Huapi é uma excelente opção de passeio de barco.

Para o passeio, o local de saída é o Porto Pañuelo. Navegando por aproximadamente uma hora é possível passar em frete da Ilha Centinela, onde estão os restos mortais de Perito Francisco Moreno, explorador dos parques nacionais argentinos. De lá, a viagem segue até a Cachoeira dos Cántaros.

Pelo percurso também é possível apreciar a nascente da cachoeira, no lago Cántaros, que possui um pinheiro-larício de mais de 1,5 mil anos. O passeio também possibilita conhecer o lago Frías, com água verde que vêm de uma das geleiras do monte Tronador, limite com o Chile. Enfim, com tantas possibilidades, não há como não se encantar e adquirir experiências que sirvam para todos os sentidos.

E não precisa se preocupar em como irá passar a noite. Nas redondezas encontra-se a Hostería Blest, ideal para o descanso e para se alimentar bem, com refeições gourmets.

Vale Challhuaco – no verão, a flor da Patagônia; no inverno, a neve

O Valle do Challhuaco é um dos melhores locais para observar a famosa flor da Patagônia, a amancay. O local fica a 20 quilômetros de Bariloche, a uma altura de 1,9 metro e dentro do parque Nahuel Huapi, possuindo um bosque de lengas, árvores típicas da região.

No vale, encontra-se o Espacio Neumeyer, um local ideal para vivenciar o espírito da montanha e da Patagônia, já que possui atividades recreativas para todos os tipos de idades. Caminhando por diversas trilhas é possível observar a vida silvestre do bosque. E, durante o inverno, há um adendo: as caminhadas são feitas com raquete de neve.

Piedras Blancas

Os bondinhos aéreos levam você até o início das pistas, para que você possa descer mesmo de trenó. Lá você encontra aulas de esqui para os principiantes, uma confeitaria e vistas majestosas dos lagos Nahuel Huapi e Gutiérrez.

A tirolesa é uma atividade nova e divertida que permite sobrevoar os bosques durante o ano todo. Você também pode fazer um safari fotográfico e descobrir paisagens incríveis, uma atividade ideal para fazer em família.

O traslado a partir do centro da cidade é contratado nas agências de viagem habilitadas e pode ser feito de táxi, carros com motoristas particulares ou veículo próprio.

Centro de Esquí Nórdico

Este setor do Cerro Otto oferece todo tipo de atividades para fazer na neve: passeios de snowmobile, motos de neve, caminhadas com raquetes e muito mais. Mas sem dúvida a estrela entre as atividades é a prática do esqui nórdico. Essa modalidade oferece a possibilidade de deslizar em qualquer tipo de terreno (plano, em descidas, subidas e pelo bosque).

Aberto só durante os meses de inverno e está localizada a 10 km do centro da cidade de Bariloche e aproximadamente 55 km da área do Hotel Llao Llao (ida e volta).

As excursões oferecidas pelas agências têm diferentes durações, de acordo com as atividades contratadas. O passeio pode demorar de 4 a 5 horas até 7 a 8 horas se incluir esqui nórdico.

Refugio Arelauquen

Onde a aventura e a noite se encontram

O Refugio Arelauquen é muito mais que um restaurante de montanha único. É uma experiência inesquecível na montanha, que começa antes de você chegar e que continua durante muito tempo depois.

Localizado no cume do Cerro Otto, em um mirante natural a 1.300 metros de altura, chegar até lá por si só já é uma aventura: combina uma subida emocionante em camionetes 4X4 que percorre trilhas de montanha misteriosas e desafiadoras com um caminho que continua por um trajeto mágico em motos de neve, um passeio inesquecível de curvas que avança pelo silêncio profundo do bosque. Uma estrada linda e antiga, repleta de lengas cobertas de neve e sob um manto de estrelas.

Depois da adrenalina e o encanto da subida, você tem um encontro marcado com a tranquilidade e a recepção calorosa de um refugio sem igual. Você vai relaxar contemplando o fogo da lareira, à luz de velas e tendo à frente a vista incomparável do nosso deck de madeira coberto de neve com a visão mais surpreendente dos lagos Nahuel Huapi, Moreno e Gutiérrez.

Vai apreciar a melhor vista da cordilheira, a imponência e a beleza da paisagem patagônica e ainda saborear uma tábua de queijos, frios, pães de azeitona, uma deliciosa fondue de queijo, fondue de chocolate, frutas e massas. Champanhe ou vinho? Você escolhe.

Importante: Como essa excursão depende muito das condições climáticas, os responsáveis pelo Refugio podem ter que suspender a atividade, até no mesmo dia da reserva. Se o caminho não estiver adequado para a excursão, não será possível para os profissionais que guiarão você até o seu destino garantir o absoluto cumprimento de todas as medidas de segurança necessárias. Caso isso aconteça, você será reembolsado totalmente pelo valor.

Turnos: 18h00; 19h00; 20h30 e 21h30. (Serão admitidas no máximo 16 personas por turno).

Consulte as opções de meio dia e os preços especiais para grupos.

Recomenda-se levar roupa adequada para a subida (gorro, luva, roupa impermeável e um calçado apropriado).

Para saber mais, ligue para (0294) 4 476-154 Ou envie um e-mail para reservas@elrefugioarelauquen.com.ar

Cerro López

Voe sobre um bosque espetacular

O Cerro López faz parte do Circuito Chico. A seus pés está o povoado conhecido como Colonia Suiza ao leste e os lagos Moreno e Nahuel Huapi ao norte e noroeste, respectivamente. Está 2.075 metros acima do nível do mar.

Há uma trilha pela qual, em três horas de caminhada, se chega ao albergue de montanha López, um lugar excelente com tudo o que é necessário para pernoitar.

No sopé do Cerro você pode contratar passeios a cavalo e fazer arvorismo. Esse último é uma atividade que já se transformou em um clássico da cidade, ideal para curtir com toda a família ou amigos. Voe entre plataformas bem altas sobre um bosque espetacular, com guias especializados e equipamentos que garantem a segurança total da experiência.

O Cerro López também oferece a opção de uma excursão incrível na qual você pode chegar a três albergues de montanha: o López, o Roca Negra e o Extremo Encantado. O acesso a qualquer um deles começa na base do Cerro com uma travessia fantástica de 4x4 por um caminho íngreme de montanha, entre o bosque de coihues centenários e lengas altas.

As curvas do caminho são mirantes naturais que mostram a imensidão do grande parque nacional Nahuel Huapi, com vistas impressionantes de lagos, ilhas e montanhas, ideais para tirar as melhores fotos da sua vida. Depois você pode continuar a pé. Está animado? Aventure-se pelo bosque e pela montanha, em uma caminhada de baixa e média dificuldade. E no inverno a aventura continua com raquetes de neve.

Cerro Challhuaco

Atividades recreativas o ano todo

A apenas 20 quilômetros da cidade, a uma altura de 1.900 metros e dentro do parque nacional Nahuel Huapi, está o Valle do Challhuaco. Com seu impressionante bosque de lengas (árvores típicas da região), é um dos lugares mais notáveis para ver a famosa flor da Patagônia: o amancay.

Nesse vale você vai encontrar o Espacio Neumeyer, um novo lugar para viver o espírito da montanha e da Patagônia. Esse lugar único, que pode ser aproveitado o ano todo, é ideal para atividades recreativas de montanha, em casal, com amigos ou em família. Não importa a idade! Esse centro de ecoturismo convida você a viver as mais diversas experiências na neve, no bosque e na montanha.

No inverno as caminhadas são feitas com raquetes de neve. Durante o resto do ano, você observa a vida silvestre do bosque caminhando por diferentes trilhas. Na lagoa Verde, você poderá conhecer o habitat natural do sapo do Challhuaco, uma espécie endêmica, que não se encontra em nenhum outro lugar do mundo.

Os diferentes caminhos estão muito bem sinalizados para você não se perder. Cada um deles tem uma atração diferente.

TURISMO

Chegou a hora de planejar seu roteiro

e assim que possível te esperamos por aqui

Neve

Verão

Neve Neve

Roteiros

Neve

Gastronomia

AGENDA

Fique por dentro dos principais eventos

e assim que possível te esperamos por aqui

CONTATO

Cadastre-se e fique por dentro

seja o primeiro a saber das nossas novidades

Ao se cadastrar você recebe o link para o nosso canal oficial do Telegram, não fique de fora dessa.

    segmentos*



    Links de Interesse

    DESENVOLVIDO POR MAPA360 ®. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.